21.11.06

CANÇÕES DE AMOR AO RIO


Berço do samba e das lindas canções...
(estátua de Braguinha em Copacabana)

CIDADE MARAVILHOSA (clique para ouvir na Rádio UOL; uma dica: use o botão direito do mouse e escolha "Abrir em uma nova janela")
André Filho

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil

Berço do samba e das lindas canções,
que vivem n’alma da gente.
És o altar dos nossos corações
que cantam alegremente.

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil

Jardim florido de amor e saudade,
Terra que a todos seduz
Que Deus te cubra de felicidade,
Ninho de sonho e de luz

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil


Deste céu, deste mar...


VALSA DE UMA CIDADE (clique para ouvir na Rádio UOL)
Antônio Maria & Ismael Neto

Vento do mar e o meu rosto no sol a queimar, queimar
Calçada cheia de gente a passar e a me ver passar
Rio de Janeiro, gosto de você
Gosto de quem gosta
Deste céu, deste mar, desta gente feliz
Bem que eu quis escrever um poema de amor
E o amor estava em tudo o que vi
Em tudo quanto eu amei
E no poema que eu fiz
Tinha alguém mais feliz que eu
O meu amor
Que não me quis



Copacabana, princesinha do mar...

COPACABANA (clique para ouvir na Rádio UOL)
Alberto Ribeiro & João de Barro

Existem praias tão lindas cheias de luz
Nenhuma tem o encanto que tu possuis
Tuas areias, teu céu tão lindo
Tuas sereias sempre sorrindo

Copacabana, princesinha do mar
Pelas manhãs tu és a vida a cantar
E à tardinha ao sol poente
Deixas sempre uma saudade na gente

Copacabana, o mar, eterno cantor
Ao te beijar ficou perdido de amor
E hoje vive a murmurar
Só a ti, Copacabana, eu hei de amar



Quando a minha vida era um brinquedo...
(do CD Cores da Minha Bossa)
Pery Ribeiro

Volto a caminhar na mesma rua
A contemplar a mesma lua
Que brilhou no meu passado
Quando a minha vida era um brinquedo
Quando todo o enredo
Da minha história começou
Volto e sinto o cheiro de saudade
E vejo que a felicidade
Era um Rio glorioso onde eu nasci
Era um Rio tão amável de sorriso e sol
Um Rio tão alegre com seu futebol
Um Rio tão feliz sem violência e dor
Um Rio onde a estrela Dalva
Emocionou cantando
Um Rio onde Herivelto
Compos a vida amando
A paz tão carioca
Em carnavais de muito amor

Nota: Música gentilmente enviada a este blog por Ana Duarte, esposa do Pery, que escreveu: "Nascida goiana, paulistana por muitos anos, e hoje morando em Miami; cultivo uma enciumada inveja do meu marido, um carioca da gema - o cantor Pery Ribeiro - por ter ele vivido todo o esplendor desse Rio dos anos 50 e 60. Quando escuto suas histórias desta época, bebo cada palavra, curto cada música, me deliciando com uma época de ouro. E sendo bem mais nova que ele, sempre brinco: nasci na época errada!"



Alô, moça da favela...

AQUELE ABRAÇO (clique para ouvir na Rádio UOL)
Gilberto Gil

O Rio de Janeiro continua lindo
O Rio de Janeiro continua sendo
O Rio de Janeiro, fevereiro e março
Alô, alô, Realengo - aquele abraço!
Alô, torcida do Flamengo - aquele abraço!
Chacrinha continua balançando a pança
E buzinando a moça e comandando a massa
E continua dando as ordens no terreiro
Alô, alô, seu Chacrinha - velho guerreiro
Alô, alô, Terezinha, Rio de Janeiro
Alô, alô, seu Chacrinha - velho palhaço
Alô, alô, Terezinha - aquele abraço!
Alô, moça da favela - aquele abraço!
Todo mundo da Portela - aquele abraço!
Todo mês de fevereiro - aquele passo!
Alô, Banda de Ipanema - aquele abraço!
Meu caminho pelo mundo eu mesmo traço
A Bahia já me deu régua e compasso
Quem sabe de mim sou eu - aquele abraço!
Pra você que meu esqueceu - aquele abraço!
Alô, Rio de Janeiro - aquele abraço!
Todo o povo brasileiro - aquele abraço!

Nota: Pressões inelutáveis levaram Gilberto Gil, em 1969, a deixar o Brasil e ir viver em Londres, justamente com seu companheiro de tropicalismo Caetano Veloso. Antes disso, porém, Gil compôs e gravou esse buliçoso samba de partido alto, no qual afirma que "meu caminho pelo mundo, eu mesmo traço". Na ocasião, encarou-se essa composição — a derradeira antes da partida — como a despedida de Gil. (Abril Cultural, Nova História da Música Popular Brasileira, Gilberto Gil, 1977)


Braços abertos sobre a Guanabara... *

SAMBA DO AVIÃO (clique para ouvir na Rádio UOL - use o botão direito do mouse e escolha "Abrir em uma nova janela")
Antonio Carlos Jobim

Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades
Rio, seu mar
Praia sem fim
Rio, você foi feito prá mim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Rio de sol, de céu, de mar
Dentro de um minuto estaremos no Galeão
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Aperte o cinto, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós
Aterrar...

Fotos de Ivo & Mi, exceto a última, marcada com *, de Cantunes. Clique aqui para conhecer mais fotos de Cantunes.

10 comentários:

Léa disse...

P A R A B É N S, I V O ! ! !

O BLOG LITERATURA RIO DE JANEIRO PRESTA GRANDE SERVIÇO NÃO SÓ AOS QUE RESPIRAM LITERATURA MAS A TANTOS OUTROS QUE BUSCAM, TAMBÉM, AUTENTICIDADE E BELEZA!

LONGA VIDA A VOCÊ E SEU BLOG ! !
(enviado por e-mail)

Ribeiro de Almeida disse...

Ivo, é com grande prazer que leio o seu blog e ele me leva aos anos 50 quando vivi no Rio. Fui aprendiz de repórter do jornal " O Globo" e meu passeio predileto era na Quinta da Boa Vista e no Campo de Santana que fica perto da casa onde morou minha tia. Minha irmã reside no Rio e quando for visitá-la novamente irei procurá-lo para um bom papo. Do Prof. Dr. Antonio Ribeiro de Almeida, aposentado, USP

Siomara de Cássia Miranda disse...

PREZADO PROFESSOR IVO
O seu blog é uma sala de aula muito interessante,pois através do entretenimento,adquirimos CULTURA GERAL!
SUCESSO SEMPRE!!!
Siomara de Cássia Miranda

Jonas Prochownik disse...

Ivo, sempre e muito bom entrar no teu Blog. Braguinha e uma figura maravilhosa. A muitos anos quase casei com a sobrinha dele, Maria Angelica Faccini, Primeira bailarina do T.Municipal na epoca. Belas lembranças! Forte abraço do amigo Jonas.

Maria Cristina disse...

Sua idéia foi maravilhosa. Eu adoro o Pery Ribeiro! E o que dizer do eterno Ismael Silva? Muito obrigada. (enviado por e-mail)

bellelage disse...

Ivo, que frescor, que delícia vir aqui, depois de atravessar as montanhas, chegar neste Rio de Janeiro que vc tão bem en-canta.
Obrigada! bjm, Bel

Anônimo disse...

e aii pai
ta indo na favela pra tirar foto do riooo??? aahahahahahaha
ta ótimoo o bog
abraçooo

julia disse...

Yo no me muero sin ir a Brasil!!!!

Fátima disse...

Caro Ivo,

Estou sempre visitando seu maravilhoso blog. Estive no Rio há dez dias e já não aguento de saudade. Ao ouvir esses canções, chorei de emoção.
Sou carioca de coração e com muita paixão.
Parabéns pelas fotos,pelos textos, e parabéns pela Nova Maravilha do Mundo,
o Cristo Redentor.

Maria Fernanda disse...

Queria lembrar essa:

Domingo em Paquetá
(Braguinha e Alberto Ribeiro)

Esquece por momentos teus cuidados
E passa teu domingo em Paquetá
Aonde vão casais de namorados
Buscar a paz que a natureza dá
O povo invande a barca e, lentamente
A velha barca deixa o velho cais
Fim de semana que transforma a gente
Em bando alegre de colegiais

Em Paquetá, se a lua é cheia
Faz renda de luz por sobre o mar
A alma da gente se incendeia
E há ternuras sobre a areia
E romances ao luar
E quando rompe a madrugada
Da mais feiticeira das manhãs
Agarradinhos, descuidados,
Ainda dormem namorados
Sob um céu de "flamboyants"