21.9.09

ÁRVORES DO RIO

POSTAGEM ESPECIAL COMEMORATIVA DO DIA DA ÁRVORE
Textos extraídos do maravilhoso livro Árvore Cidade, de Mariana Varzea, Roberto Ainbinder e Cesar Duarte.

ALGODOEIRO-DA-PRAIA:

"O algodoeiro-da-praia [...] é uma espécie pantropical, que se adapta a qualquer lugar dos trópicos, e vem sendo utilizada na recuperação das margens de lagoas e praias.
FOLHA simples, em forma de coração. FLOR grande, com cinco pétalas, amarela, com mancha triangular de cor vinho na base. Floresce durante todo o ano, principalmente de setembro a maio."

Fotos tiradas na Avenida Atlântica.



ABRICÓ-DE-MACACO:

"Trazida das Guianas pelo paisagista Roberto Burle Marx, o abricó-de-macaco é uma espécie amazônica muito ornamental, não só por causa dos frutos, mas também por causa das flores que saem diretamente do tronco e são motivo de festa para insetos, animais e namorados."

Duas primeiras fotos tiradas perto do MAM, terceira no Largo do Machado e quarta em Laranjeiras (Rua Cardoso Junior).





AMENDOEIRA:

"A amendoeira é uma das espécies mais presentes na cidade, irmanando bairros desde Santa Cruz a Copacabana. É também uma das principais testemunhas do nosso desenvolvimento urbano, no Passeio Público há um exemplar com mais de 150 anos. [...] É durante o outono e o inverno, quando as folhas caducam e tingem a paisagem carioca com tons amarelos, vermelhos e alaranjados, que a amendoeira marca o seu reinado na cidade. [...] Por nos proporcionarem o belíssimo espetáculo de criar verdadeiros tapetes de folhas no chão, proibiu-se o plantio das amendoeiras na cidade na década de 1990."

Fotos tiradas no bairro do Jardim Botânico, Lagoa, Forte de Copacabana, numa rua de Copacabana e novamente Lagoa (folhas caídas).







CASUARINA:

"A casuarina foi trazida da Austrália no final do século XIX para arborizar o litoral brasileiro. Quem é morador do Recreio dos Bandeirantes [...] aprendeu a fantasiar contos de mistério e aventura nas tardes de vento e chuva, que fazem a árvore dançar e uivar até quase chegar ao chão."

Fotos tiradas na Barra da Tijuca e RIOCENTRO.



COQUEIRO-DA-BAHIA:

"Sabe-se que há muito tempo o coqueiro freqüenta as praias do Brasil, da África e da Ásia, unindo paisagens tão distintas. [...] O coqueiro só passou a fazer parte do paisagismo urbano do Rio na década de 1960, no Parque do Flamengo, projetado por Burle Marx."

Fotos tiradas na Praia de Copacabana, Praia de Ipanema, Aterro do Flamengo, Urca (observe o Pão de Açúcar atrás) e Praia do Leme.






FIGUEIRA ITALIANA (ou fícus italiano):

"Conhecida no Brasil como falsa-seringueira ou seringueira, por causa do suco de látex que produz, a figueira italiana [ou fícus italiano] já faz parte da paisagem carioca há mais de cem anos. [...] No Parque do Flamengo, próximo à Marina da Glória, há um conjunto monumental que impressiona pela imponência."

Fotos tiradas no Aterro do Flamengo, Largo do Machado (observe o tamanho das folhas deste tipo de fícus) e Rua Bartolomeu Mitre, no Leblon.




FIGUEIRA MICROCARPA (o famoso fícus):

"Quando Glaziou foi contratado para embelezar as ruas da cidade não poderia imaginar o quanto o seu pensamento urbanístico iria marcar a nossa paisagem. Nem poderia prever que esta figueira monumental, trazida da Ásia, iria se transformar numa praga a ser dominada no início do século XXI." [Veja a bela crônica de Artur da Távola Velhos Fícus como Eu, neste blog.]

Fotos tiradas na Praça N.S. da Paz, Ipanema (duas primeiras) e Campo de Santana (duas últimas), onde encontramos fícus monumentais.





FIGUEIRA RELIGIOSA:

Dizem os indianos que foi sob a sombra de um Ficus religiosa que Buda atingiu o Nirvana. [...] Por sua monumentalidade, a figueira religiosa foi escolhida para embelezar os canais da cidade [...] A copa é composta por folhas [...] no formato de um coração.”

Fotos tiradas na Praça N.S. da Paz (na calçada externa ao cercado) e Largo do Machado (observe a forma de coração com ápice pontiagudo da folha).



FLAMBOYANT:

"Fazendo jus ao nome francês, que quer dizer 'flamejante', suas flores cor-de-laranja e avermelhadas anunciam a chegada do verão e 'colocam fogo' na paisagem."

Fotos tiradas na Lagoa.







IPÊ:

"O ipê é uma das espécies brasileiras mais conhecidas e cultivadas. Dizem que só não deu nome ao Brasil porque Cabral chegou por aqui no verão e o ipê só se torna exuberante no inverno."

Os ipês florescem entre junho e setembro. Existem ipês amarelos, rosas e roxos. As fotos foram tiradas em frente da Igreja Santa Teresinha em Botafogo, Centro, Catumbi, Copacabana (na praça à entrada do Túnel Velho) e Urca (três últimas fotos - observe na última as flores caídas sobre a camionete).







OITI:

"O oiti é uma espécie da Mata Atlântica. [...] Embeleza as principais vias do Rio de Janeiro desde o século XIX, quando Glaziou o introduziu no Centro da cidade. [...] Chama a atenção pela copa majestosa, com variada tonalidade esverdeada, resultante da mistura das folhas antigas com as novas. [...] É no enfrentamento do concreto dos viadutos como o Elevado Paulo de Frontin, e de avenidas, como a Av. N. S. de Copacabana, que o oiti mostra a resistência da mata brasileira."

Fotos tiradas na minha rua, Santa Clara, em Copacabana.



PAINEIRA:

"Sua origem é a mata virgem sul-americana. [...] É ideal para embelezar parques e jardins e foi muito utilizada por Burle Marx em seus projetos."

A Paineira floresce no outono. As três primeiras fotos abaixo foram tiradas na Cinelândia e a última no Largo da Carioca, todas em maio.





PALMEIRA IMPERIAL:

"Chegou ao Brasil nas mãos de um português, vindo da França, para ser dada de presente ao rei D. João VI. [...] Na cidade, as palmeiras documentam uma fase de nossa história e onde quer que estejam significa que vamos encontrar uma parte do nosso patrimônio cultural."

Fotos tiradas no Jardim Botânico (cujas palmeiras são famosas), Jardim Zoológico e jardim do Palácio do Catete ao entardecer.




PATA-DE-VACA:

"Pata-de-vaca é uma árvore de pequeno porte e traz um encanto especial para canteiros e ruas onde o casario predomina. [...] Recebeu o nome popular por causa do formato de suas folhas."

Duas primeiras fotos tiradas na Lapa. A última, que mostra a flor de perto, foi tirada no Aterro.




PAU-BRASIL:

"O pau-brasil deu nome ao nosso país, por causa da cor avermelhada, lembrando a brasa, de sua madeira. [...] No paisagismo urbano, sempre foi plantado em ocasiões oficiais e datas comemorativas."

Fotos tiradas no jardim do Palácio do Catete e no Parque da Catacumba (Lagoa).



PAU-REI:

"Burle Marx, com o olhar visionário que habita a alma de todos os paisagistas, usou o nativo pau-rei como uma barreira natural contra a arquitetura cada vez mais verticalizada da cidade. O porte monumental deu origem ao próprio nome."

Foto tirada na Praça Cuauhtémoque (Flamengo).


Textos (entre aspas) extraídos do livro
Árvore Cidade, de Mariana Varzea, Roberto Ainbinder e o fotógrafo Cesar Duarte. Para obter mais informações sobre estas e outras árvores do Rio, recomendamos adquirir esse maravilhoso livro ilustrado (clique no nome acima). Fotos do editor do blog. Postagem originalmente publicada no Dia da Árvore de 2006 e acrescida de fotos e textos novos em 2007 e 2008.

42 comentários:

Labouré Lima disse...

Prezado Ivo, sempre alegrando a nossa alma com suas postagens, maravilhosas! Adorei! Um viva bem grande à mãe natureza! No Dia da Árvore e em todos os outros dias!

Quando chega o aviso de postagem nova no blog, por mais ocupada que eu esteja, nunca me furto ao desejo de visitá-lo. Volto ao trabalho, sempre renovada!

Obrigado pelas boas emoções!
Meu carinhoso abraço
Labouré Lima

Kristal disse...

Cada visita ao seu blog é um maravilhoso passeio literário e turístico pelo Rio de Janeiro.

Alice disse...

Queria te dizer da tua sensibilidade ao fotografar nossa flora, de te agradecer de nos lembrar que hoje é o Dia da Árvore, que o texto escolhido, que acompanha as fotos, expressa, com delicadeza e maestria, tudo que você clicou para nosso êxtase.
(enviado por e-mail)

Marilia Mota disse...

Lindas! Adorei. Sempre quis saber o nome dessas lindezas.
Bjos

Dolores disse...

Hi Ivo,
Gosto disso, os becos intimistas e as arvores, imponente demonstracao da presenca divina onde o homem cre q domina. Belas fotos c lindos textos! Delicada primavera em minhas lembrancas outonais.
Thank you!
Beijinhos c carinho

Toronto Ca

ICalábria disse...

Prezado, só uma correção a foto abaixo do Ipê Roxo, não é de um Ipê e sim de uma Buganvilia, mais conhecida como Primavera.
Adorei as fotos e os comentários.Deu pra conhecer um pouco do RJ.
Obrigada.

Anônimo disse...

Belíssimas...adorei!
parabéns
Lenir, Paraná

Ivo Korytowski disse...

Prezado icalábria, você tem razão. Obrigado por apontar o erro. A foto da buganvília foi retirada e substituída por outra de um ipê-roxo mesmo!

Leonor Cordeiro disse...

Hoje conheci o seu blog e fiquei encantada com as imagens e os textos. Um dos meus blogs tem o objetivo de levar a querida Cecília Meireles para as crianças:http://leonor_cordeiro.blog.uol.com.br . Comemoramos o dia da árvore e a chegada da primavera com textos da Cecília . Gostaria de saber se posso ilustrar alguns poemas com fotos suas, claro que não deixarei de colocar a autoria das mesmas . Grande abraço ! Leonor Cordeiro

Cris Zimermann disse...

Maravilhosas essas árvores, Ivo! Sempre tive uma atração muito forte pelas árvores... Admiro cada desenho, cada formato, enfim, gostei bastante das fotos.

bjsss

Anônimo disse...

poxa eu vou fazer no meu colégio um trabalho super importante que é o do:árvores do Brasil
eu fiquei resposável das árvores pinhão-roxo, pau-brasil, palma, pera e palmeira imperial
e quando eu vi aquelas árvores eu disse:
-Nossa!!!
= a uma abestada
kkkkkkkkkkkkkk
mas a que eu mais gostei foia do ipê-roxo
parabéns pelo trabalho e eu gostaria de ver + árvores rosadas e bonitas
by: mariana

Dolores disse...

Saiba q as fotos dos ipês, em seu blog, me trouxeram lembrancas maravilhosas!
Mas fiquei matutando...o ipê q vc diz roxo é rosa, pq o roxo é mesmo roxo paixão...Minha professora de desenho, lá no interior de Minas, tomava chá de ipê roxo.
E a primavera era sempre linda na fazenda! Meu pai dizia q queria ser enterrado à sombra de um ipê e é p esse motivo q os conheço bem. (enviado por e-mail do Canadá)

Ivo Korytowski disse...

Dolores, existe realmente um ipê-rosa, mas ele é rosa claro. O ipê-roxo é, digamos, rosa "escuro", arroxeado.

Roger_Rio disse...

Show de bola, Ivo!
Espetáculo! Idéia e execução primorosas.

Alexandre Core disse...

Excelente registro!

Fã número um disse...

Oi meu caro amigo escritor!
Adorei sua postagem sobre árvores. Já plantei algumas: flamboyant, lindo...já com uns 10 anos;um belíssimo ipê amarelo que amo de paixão de uns 14 anos e mais recentemente um pau-brasil que estou ansiosa para conhecer a flor da "Caesalpinia echinata" que dura no máximo dois dias e surge pela primeira vez quando a árvore está com três ou quatro anos de vida, mas a minha já está com seis e nadica de nada.
Bem, já tive filhos, plantei árvores mas vou sem escrever um livro. Isso é só pra você e outros mais.
Parabéns pelo enriquecedor blog.

Val Du disse...

Oi, Ivo.
Entrei no teu blog por acaso. Mas achei maravilhoso poder encontrar um espaço assim; cheio de fotos de árvores, sou apaixonada por plantas e animais. Pela Natureza de maneira geral.
Muito bom mesmo esse teu envolvimento com as árvores.
Gostei demais.!
Abraços.

Glorinha_Dettmar disse...

Salut, Ivo.
Gostei muito de seu blog, eu sou também uma "observadora" e apaixonada pelas árvores do Rio.
Em sua postagem só senti falta do registro das árvores da Estrada das Paineiras e da Floresta da Tijuca. Fica o palpite com segundas inteções, pois eu iria adorar vê-las por aqui.
Tudo de bom!

Paulo disse...

Estava eu procurando localizar algumas árvores da nossa cidade e me deparei com o seu site. Foi um prazer ver tantas árvores belas. (enviado por e-mail)

solfirmino disse...

Adorei sua página. Essas fotos estão lindas. Eu tenho mania de fotografar árvores e me identifiquei muito com elas. Parabéns.

Anônimo disse...

Amo seu blog pela metodologia, pelos textos, pelas fotos, pelas informações, pela poesia nele contida
Obrigada

Sandro disse...

Fala ai amigo ....gostei do seu blog muito show so gostaria de saber o nome de uma arvore que existe na carioca ele fica perto do poligono da PM e tem o tronco de Ferrugem...



Sandro.lemos@gmail.com

Eliezer ilho disse...

Excelente!!! Parabéns, já que essa demonstração de sensibilidade traduz o seu amor pela natureza, que o torna digno de admiração, respeito e afeto. Devo ressaltar a qualidade das fotos. Muito bem tiradas.

Siomara de Cássia Miranda disse...

Oi,Ivo!Saudações FLORIDAS pelo dia da Árvore!Me encantei com a postagem sobre "ÀRVORES DO RIO"!
BELÍSSIMA POSTAGEM!!!Parabéns!
Siomara de Cássia Miranda(Fãn número UM do seu blog!!!)

Jaquelyne disse...

Nossa!!Uma verdadeira enciclopédia sobre árvores!!Eu, sinceramente, as amo. Fiz um poema sobre as árvores que encontrei em Brasília. Elas são lindas em suas contorções doridas.
Grande abraço,Ivo!
Visitarei-o mais vezes agora que te achei!!

Lina disse...

Ivo, além do dia da árvore, é dia da luta para inclusão do deficiente - sou portadora de osteogenesis imperfecta (ossos de cristal), médica geneticista e pediatra.
Enviando um texto lindo sobre a luta por inclusão. (comentário enviado por e-mail - para ler o texto citado, clique no nome da Lina)

Haroldo Netto disse...

Ivo,
sensacional o seu dia da árvore. Como sou muito mais velho que você, senti falta da Curva da Amendoeira.
Fiz uma pesquisa rápida no blog do Carlos Henrique Brack (enviado por e-mail - para ver a postagem citada sobre a Curva da Amendoeira, clique no nome do Haroldo)

Eliete disse...

Ivo, Sou apaixonada pela natureza, toda e qualquer planta me deixa entusiasmada vendo as fotos lembrei de quando morava na Rua do Riachuelo e trabalhava na Candelária o ônibus ia pela Lapa e na curva que fazia na Praça Paris eu "tomava conta" de umas amendoeiras e quando elas estavam com as folhas amareladas depois caiam transformando num tapete me deixavam deslumbrada (como até hoje). Flamboyant adoro, tenho como fundo de tela a mesma foto que está nesta edição, em Niterói tem uma alameda no sentido quando se vai para a região oceânica que fica lindo na época da floração. Quando viajei para Minas no mês passado vimos Ipês amarelos muito lindos. Não dá para escrever sobre tudo que gosto senão vais passar horas lendo. (enviado por e-mail)

Sérgio Augusto Sant'Anna disse...

QUE BELEZA É O NOSSO RIO DE JANEIRO! FALO ISSO COMO BRASILEIRO, ORGULHOSO DESSA CIDADE. ÓTIMO!

Maria disse...

Amigo *, entrei no blog, de seu amigo Ivo Korytowski, e sabe o que encontrei? Árvores do paisagista Roberto Burle Marx.
Você sabia que a cidade de Santo André foi projetada por Rino Levi e com o paisagismo de Burle Marx? E que a cidade tem a maior tapeçaria de Roberto Burle Marx, no Salão Nobre da Prefeitura?
Pois é amigo, consegui mudar um pouco a história.(foi o meu trabalho de TCC em História).
Nos livros de Burle Marx dizia-se que a sua maior tapeçaria estava no Palácio do Itamaraty em Brasília, com a metragem de 4,21 x 16,69. = 70,26.
A maior tapeçaria de Burle Marx esta aqui em Santo André e mede 26 metros de comprimento x 4,16 = 108,16.
E a cidade de Santo André é toda burlemarxiana. E que o maior legado de Burle Marx está no paisagismo. Logo, tudo que se refere a Burle Marx, eu guardo com carinho. (e-mail enviado a um amigo, que o repassou para o editor do blog)

Nelly disse...

Seu blog é lindo cultural viajei com vc. pelas ruas favelas igrejas jardins, as árvores cada qual mais linda... sou louca pela Natureza, que vc. fotografa tão bem. (enviado por e-mail)

Roberto Bitencourt Pereira disse...

Prezado Ivo,

Seu Blog é um barato... diversificado e atraente. Mas meu objetivo é o seguinte: em viajem ao Rio há alguns anos, caminhando pelas calçadas da Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, "catei" na base de uma árvore que, creio, deve ser centenária pelo seu porte gigante, algumas sementes. Elas secas tinham formato de coração (algumas) se abriam em duas partes, tinham uma casca grossa, marrom e cheia de ranhuras. As guardo até hoje. Peguei também uma semente fechada, récem caída. Era avermelhada np formato de um feijão gigante, de uns 10cm de comprimento. Com o tempo e já aqui no sul, ela começou a abrir, secar, e ficar marron como as cascas que eu havia pego. Dentro dela algumas sementes que eu plantei em um vaso. Bem, nasceram três mudas. Possuo uma até hoje, ainda em vaso. As folhas lembram as da maconha, sem o cerrilhado (isso me causou alguns problemas com os vizinhos, hehehe). De um verde vivo, elas caem totalmente no inverno, ela parece estar morta. Como não a coloquei na terra ela tem apenas 1,5m de altura. Na primavera surgem os primeiros ramos de um único galho guia seco, florecendo duante todo o verão. Nessa época ainda tem algumas folhas. Nunca ramificou, já passou por situações extremas de frio e falta de água (tive que me ausentar e ela não foi aguada por quem havia ficado responsável por isso) mas resistiu e florece como descrevi todos os anos já fazem sete anos. Bem, você saberia me dizer de qual espécie estou falando? Tenho planos de plantá-la e vêla crescer, mas gostaria de saber mais características como crescimento anual, raízes etc... pois temos o receio de que suas raízes possam danificar o terreno, dependendo de onde for plantada. Se puder me ajudar ficarei muito grato. Como não acesso a internet com frequencia habitual, lhe repasso meu e-mail: roberto.raios@gmail.com. Obrigado por sua atenção e perdoe os erros de português (você como um litereto deve ter tido arrepios na minha explanação) Abraços, seucesso e, no aguardo,
Roberto Bitencourt
Poto Alegre
Rio Grande do Sul

Linda Carioca disse...

Seu blog é perfeito ! Sem palavras... lerei sempre ! BJS !

Ju disse...

Prezado Ivo,
linda forma de saudar a chegada da primavera. Com sua sensibilidade presenteou-nos com momentos de pura beleza. Obrigada.
Cordialmente.
Ju

Márcio disse...

parabens pelos 200000 acessos pai ehhehehhe

Judy disse...

Prezado Ivo:

Como são lindas!
Ótimas fotos, parabéns!
Muito bacana conhecer este Rio encantador, muito diferente do dos notíciários da televisão.
Vim por convite do Victor e adorei seu blog!
Abraço,

Judy

Anônimo disse...

Vão para a Puta que Pariu Burle Marx, a chiquinha conzaga o vila lobos,aquele bosta do Drumond
o Tom Jobim, o Vinicius de Moraes
Vão para o inferno "O imperialismo Carioques" de malditas canções como bóssa nova,Carnaval, madame satan,
aquele ninho de Rato denominado Pão de Acucar que mais se assemelha ao um amontoado de fezes gigantes seus DESGRAÇADOS morram voçês
não são nem um pouco sequer melhor do que o Rio Grande do Sul Minas Gerais e São Paulo que os carregam nas cóstas seus grandissimos amaldiçoados depravados canalhas vigaristas corruptpos restos de escravos porcos putrefactos filhos de Prostituta com Bicheiro e amante de Traficante ,assaltante

Ivo Korytowski disse...

Infelizmente neste mundo imperfeito temos que conviver com a burrice (=Qualidade ou condição de indivíduo burro, ou de dito, ação etc. a que falta inteligência, discernimento, bom senso) e imbecilidade (retardo mental em que o nível intelectual do indivíduo corresponde ao de uma criança entre três e sete anos).

jorge disse...

adorei este blog,é tudo o que meus olhos queriam ver,minha paixão é plantas!!!

zeca disse...

belíssimas árvores. Um único e pequeno complemento: existe também o Ipê Branco.

zeca disse...

Belíssimas árvores. Apenas um pequeno complemento. Existe também o Ipê Branco.

Carol Ferraz disse...

Cheguei aqui pelas amendoeiras, que sempre fizeram parte da minha infância e, olha que surpresa boa: encontras todas essas fotos, toda essa riqueza natural...É realmente para se emocionar...