16.8.15

MANIFESTAÇÃO CONTRA DILMA E O PT NA PRAIA DE COPACABANA (16/8/15)


Os organizadores vão dizer que foram 500 mil, a PM dirá que foram 70 mil, sei lá, estou conjecturando (estive lá mas ainda não vi os noticiários). O fato é que qualquer manifestação de esquerda com 500 ou 2 mil pessoas que pare o trânsito e faça uma bagunça infernal (em dia útil, quando trabalhador de verdade está trabalhando) é considerada um sucesso. Tenham sido 10 mil ou 50 mil ou 100 mil, a manifestação contra a cleptocracia lulopetista foi um sucesso retumbante, salve, salve! Teve gente apoiando golpe militar? Teve, como em manifestações de esquerda tem gente defendendo a ditadura do proletariado. Tem gosto pra tudo, e na democracia, todos têm direito de manifestar suas opiniões políticas, por mais esdrúxulas (e vamos e venhamos, fora da democracia não há salvação, nenhum país decente de primeiro mundo tem regime ditatorial, e não venham me dizer que China é decente). Mas a grande maioria foi às ruas defender uma saída democrática para a “república do pixuleco” que fez do Brasil campeão em corrupção e roubalheira. Vão dizer também que nesses protestos só tem classe média. É verdade, a maioria é classe média, sim, mas a classe média é, digamos assim, a "vanguarda" intelectual de uma nação. Nos protestos dos anos 60 contra o regime militar e até na luta armada, quem estava lá? O favelado? O marginalizado? Não, estavam os Gabeiras, as Dilmas, os Lamarcas, o Chico Buarque, oriundos da classe média, sim senhor. Aos que, mesmo diante das evidências da roubalheira generalizada, continuam apoiando o lulopetismo (e tem gente inteligente e talentosa entre eles) faço uma observação: o genial filósofo Heidegger apoiou o nazismo, o genial poeta Ezra Pound apoiou o fascismo, logo... tirem suas próprias conclusões.

Nenhum comentário: