25.7.08

JOVENS POLACAS


Chegou à terceira edição, agora em formato de bolso e preço módico (R$ 17,90), o romance de minha companheira de letras e de bairro (e colaboradora deste blog) Esther Largman "sobre o drama das prostitutas judias que vieram para o Brasil no início do século XX, enfrentando os códigos sociais e transgredindo os preceitos éticos da religião. Vítimas dos gigolôs franceses e dos traficantes de judias das aldeias pobres do Leste Europeu, essas jovens desembarcavam em terras brasileiras e eram encaminhadas por cafetões judeus para os bordéis do Rio de Janeiro. Não importava de onde viessem - eram as polacas, e o termo adquiriu um atrativo erótico considerável na vida boêmia da cidade."

"A história precisa ser contada. Não há outra coisa a fazer com os espectros a não ser exorcizá-los. Esta é a tarefa a que se propõe Esther Largman em seu Jovens Polacas." (Moacyr Scliar no Prefácio do livro).


Trecho do livro:

Os tempos estavam difíceis em Odessa, desde a época em que emigraram os outros tios e a prima Anita. [...] Certo dia apareceu um capataz novo, um rapaz moreno, muito elegante e bonito, Benjamim Tarnow, que começou a dirigir-lhe a palavra, elogiou sua beleza e, depois de algumas semanas, convidou-a para passear. Aos poucos Sarah apaixonou-se. Tempos depois, ficaram noivos e Benjamim avisou que iriam para a América do Sul, onde tinha parentes com negócio montado, e ricos. [...]

Quando chegou ao Rio de Janeiro, após pararem em Recife, cansada e já um pouco arrependida, ficou num hotel horrível, um pardieiro quente e sujo. Reclamou com Beny [Benjamim].

— O que você pensou, que eu ia morar num palácio? Temos primeiro que trabalhar e muito, não é, minha princesa? — perguntou irritado e irônico.[...]

Vi que, além de mentiroso, Beny era falso, grosseiro, e quando reagi, foi claro e cruel: tinha me trazido para ser uma de suas curves [prostitutas]!


Fotos das polacas por Augusto Malta.

7 comentários:

Moacyr Scliar disse...

Muito bom o blog e particularmente a matéria sobre as polacas. Parabens! (enviado por e-mail)

Siomara de Cássia Miranda disse...

Prezado Ivo
Achei muito interessante a matéria sobre as polacas.
Abraços e sucesso para o seu blog!
Siomara de Cássia Miranda

Érika Bezerra de Meneses disse...

Achei por acaso o Jovens Polacas, na edição de bolso, em uma livraria de Fortaleza. Não consigo me desconectar da história. Além da qualidade narrativa da obra, o tema me interessa. Pesquiso ligações afetivas entre marinheiros e prostitutas que exercem o meretrício nas proximidades do Porto do Mucuripe, em Fortaleza.

Parabéns a Esther Largman pelo trabalho tão bem sucedido.

Salvador disse...

A very interesting blog. I am working on the hitory and immigration of the "polcacas" to Salvador da Bahia, 1890-1930. Reference is quite frequently made to them, but very little quality research exists. As in Rio, they were buried in a separate place (in the city cemetary of Quintas in Salvador). I'd be very grateful for any information on this.
Marc W. Herold, Dept. of Economics
University of New Hampshire, USA

Ivo Korytowski disse...

Dear Marc,
You can get informations about the "polacas" contacting the historian and expert Esther Largman, the author of Jovens Polacas. Her e-mail: elargman@terra.com.br

Anônimo disse...

Hey - I am certainly glad to discover this. great job!

Anônimo disse...

|
|
In selecting the right company carF look For you, you shoulF bear in minF that it ought to project the business enterprise or the proFession. In case you are a lawyer, an elegant anF Formal enterprise carF is the right For you. You can aFF in glitz oF golF anF black inkhttp://www.germanylovelv.com/