12.6.07

PARQUE LAGE

UMA HISTÓRIA DE AMOR

O Parque Lage abriga uma história de amor.



Antiga cavalariça

A área foi adquirida, em meados do século XIX, pelo comendador Antonio Martins Lage Junior, cujo neto, Henrique Lage, apaixonado pela cantora lírica italiana Gabriela Bezanzoni, mandou construir um palacete, com esplêndidos jardins, presenteando-o à amada, em 1922.


Piscina do solar

O projeto foi do arquiteto italiano Mario Vodrel, que importou azulejos, ladrilhos e mármores da Itália. A pintura ficou a cargo do pintor paulista Salvador Payols Sabaté, que cobriu de ouro as estrelas que decoram a parede e o teto do quarto de dormir de Bezanzoni.


Corcovado visto do solar

A mansão está situada numa floresta de 522 hectares, em plena Rua Jardim Botânico [Rua Jardim Botânico, 414 - Tel.: (0xx21) 2538-1879], onde existem várias trilhas; a mais famosa é a que faz o percurso entre o Parque Lage e o Corcovado.


Jardim defronte ao solar

Lá, hoje, funciona a Escola de Artes Visuais do Governo do Estado do Rio de Janeiro, que serviu de cenário para a obra-prima de Gláuber Rocha, o filme "Terra em Transe".


O solar


Solar e Corcovado


Escultura em bronze de um pintor


Jardim


Jardim e solar


Torre do Castelinho


Coreto

Texto extraído do interessante livro Onde morou, de Alda Rosa Travassos, Elizabeth de Mattos Dias e Gilda Boruchovitch. O livro, volume 2 da coletânea Retratos Cariocas, editada pela Fundação Biblioteca Nacional, mostra onde moraram figuras ilustres do Rio de Janeiro.
Fotos de Ivo & Mi.

7 comentários:

Mariza Rebouças disse...

Amigo Ivo
Cada dia fico mais sua fã. Sabe que através dessa página do seu blog fiz uma visita ao passado? Pois é, me formei em pintura no Parque Lage, estudei lá desde o primeiro dia da Escola, que fora transferida da Praia Vermelha. Tive o privilégio de ser aluna de Iberê Camargo, virou meu amigo, acompanhei sua tragédia. E de Carlos Cavalcanti, meu querido professor de História da Arte, o verdadeiro culpado de me encaminhar à escrita. Foram momentos de rara beleza vividos naqueles jardins que você está mostrando, entre aquelas paredes, ao redor da piscina vazia do palacete que também serviu de cenário para o filme Macunaíma. Valeu!

Re disse...

humm...fiquei imaginando as estrelas pintadas de ouro, no teto do guarto....avvv...deve ser uma coisa de louco!!!! (enviado por e-mail)

Lia Noronha disse...

Tudo maravilhoso por aqui...bom gosto e talento!
Abraços diretamente do meu Cotidiano.

Jonas Prochownik disse...

Ivo, frequento muito a escola do Parque Lage. Tuas fotos são belissimas, alias como sempre. Um abraço do teu amigo Jonas.

Lucia disse...

Caro Ivo adorei o texto e fotos sobre o parque lage. Durante os anos 80/90 recebia amigos lá aos sábados de manhã, perto da gruta, como se fosse minha casa. Passava as manhãs com as crianças lá e sempre me senti realmente em casa. Fiquei emocionada com seu blog. (enviado por e-mail)

Ricardo disse...

Meus parabéns pelo seu blog "Literatura & Rio de Janeiro"... Mais do que fantástico, não tenho quase palavras...
Voltarei a lê-lo (várias vezes, tenho certeza) e retornarei à entrar em contato com você...
Sou um carioca (filho de austríacos) que sempre amou o Rio, a arquitetura, as "pequenas estórias" (que toda cidade tem) e por isto é que estou mais do que encantado em ter-te encontrado! Sinto que estou prestes à aprender muito mais sobre o Rio... (enviado de Viena por e-mail)

Siomara de Cássia Miranda disse...

Prezado Ivo!Belíssima matéria sobre o Parque Lage!!!
Um abraço!
Siomara