17.5.13

DO ATELIÊ DE DALLIER NO MORRO DA CONCEIÇÃO À CASA AMARELA NO MORRO DA PROVIDÊNCIA


Ver Do ateliê do Dallier no Morro da Conceição à Casa Amarela no Morro da Providência num mapa maior

Dallier é o idealizador do Projeto Mauá (o correspondente ao "Arte de Portas Abertas" do Morro da Conceição") e seu ateliê na Ladeira João Homem, 52 é uma atração turística desse aprazível morro. Dallier sempre recebe com um sorriso os visitantes do ateliê, contando histórias do morro e de sua longa vida de artista. Para ver mais fotos clique aqui.

Morro do Livramento

Morro do Livramento

"Favela Leite": escadaria ligando o Morro do Livramento ao da Providência

 Dallier diante da Casa Amarela, o Centro Cultural do Morro da Providência

 Exposição de fotos do Morro por Maurício Hora: conheça sua obra no Flickr.

Panorama da Casa Amarela

Grafite em frente da Casa Amarela

Grafite e Oratório (atrás, à esquerda) tombado do tempo da criação da "favela" pelos ex-combatentes de Canudos

Casa Amarela (lateral)

Projeto "Descascando a Superfície" de intervenção artística coordenado pelo artista Alexandre Farto em setembro/outubro de 2012 no Morro da Providência

Numa tarde ensolarada desse como sempre agradável início de outono (acabou o calor, terminaram de cair as "águas de março"), apanhei o pintor Dallier em seu ateliê do Morro da Conceição para um passeio (através dos morros da Zona Portuária) à Casa Amarela, o Centro Cultural do Morro da Providência que está celebrando os 115 anos da favela mais antiga da cidade com a mostra "Desarquitetura". Segue-se o depoimento de Dallier, "NO DIA QUE PISEI NO PROVIDÊNCIA":

30 de abril de 2013 uma data histórica para mim. Envergonhado de desmarcar com meu amigo Ivo convites que ele por tantas vezes me fez para visitar o Morro da Providência, desta vez resolvi enfrentar a empreitada de subir as ladeiras do morro e principalmente as escadarias que nos levariam à Casa Amarela que eu tinha muita vontade de conhecer e encontrar nela dois amigos: Maurício Hora, grande fotógrafo, e João Guerreiro, que me envia sempre e-mails contando os acontecimentos realizados na Casa Amarela e mesmo fora dela. Pois bem, comecei a subida pensando nas minhas pernas que não aguentariam essa grande aventura, fui subindo, subindo e quando dei por mim, lá estávamos eu e o Ivo dentro da tão badalada casa, orgulho desses dois amigos citados mais acima. Pena que não os encontramos, mais fomos muito bem recebidos por uma jovem cujo nome, Carolina, deve ter sido inspirado na bela música de Chico Buarque. Ela nos acompanhou até o mirante do morro onde se descortinam belas paisagens que a máquina fotográfica do Ivo registrou. Seja no Centro da cidade, Zona Sul ou Zona Norte, lá vai o Ivo , com sua máquina mágica mostrando ao mundo o que é que o Rio de Janeiro tem de mais tradicional e a beleza desta Cidade Maravilhosa. Obrigado, Ivo, por ter me proporcionado uma tarde tão especial. Paulo Dallier.

4 comentários:

Paulo Dallier disse...

oi iVO,. OBRIGADO POR TER COLOCADO O MEU TEXTO NA REPORTAGEM. fICOU MUITO BOM, AS FOTOS COMO SEMPRE ESTÃO MUITO BOAS. ESPERO PARA BREVE UM NOVO CONVITE PARA VISITAR OUTRO LUGAR AQUI DO NOSSO RIO DE JASNEIRO.ABRAÇÃO dALLIER

Paulo Dallier disse...

PAULODALLIER@GMAIL.COM

WILLIAN disse...

ola! Vim fazer uma visita e dizer que seu espaço esta muito lindo!
Parabéns,forte abraço... de mdf
artesanato
faça-nos uma visitaWWW.CENTRALCAIXAS.COM

Louise Leite disse...

Tem muita coisa errada ai cara! Quem te deu essas informações?