13.8.10

NOVIDADE EM IPANEMA II: COMPLEXO RUBEM BRAGA & MIRANTE DA PAZ


Nos anos 70 lembro que meu falecido pai comentou que “no meu tempo de rapaz passeávamos tranquilos por morros que hoje são perigosos e não dá para subir”. Durante décadas vivemos (na expressão de Zuenir Ventura) em uma “cidade partida”. O asfalto regido pelas leis do país e a favela regida pela ditadura do tráfico. Com a pacificação das comunidades, o muro de Berlim entre favela e asfalto vai sendo derrubado. Um belo exemplo: o recém-inaugurado Complexo Rubem Braga com o Mirante da Paz no alto. Lá turistas e moradores podem contemplar a vista que antes era privilégio dos moradores da Comunidade do Cantagalo. E estes, por sua vez, têm acesso facilitado ao metrô e à cidade aos seus pés.

Mar de edifícios em Ipanema, Rua Barão da Torre e a Lagoa à direita. Ao fundo as montanhas. São esses contrastes que dão encanto ao Rio.

Prédios colados na Favela do Morro do Cantagalo & rampa de acesso do Complexo Rubem Braga. E de quebra vemos o Corcovado.



Desde o dia 30 de junho, os moradores das comunidades do Cantagalo e do Pavão-Pavãozinho, no Rio de Janeiro, já utilizam o Complexo Rubem Braga para ter rápido acesso à estação Ipanema/General Osório, do metrô.

O Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o Ministro das Cidades, Márcio Fortes, o Prefeito Eduardo Paes e o Secretário de Transportes, Sebastião Rodrigues, participaram da cerimônia de inauguração do local, cujo nome homenageia o jornalista e escritor Rubem Braga, que residiu nas imediações do metrô de Ipanema.

O complexo, construído pela Odebrecht Infraestrutura, é composto por um túnel de 260 m de extensão escavado na rocha que liga a estação General Osório às duas torres (de 64 m e 31 m de altura) de elevadores com capacidade para transportar até 100 pessoas por viagem. No topo da torre mais alta foi construído o Mirante da Paz, e serão instalados, ainda, postos de serviços públicos, como o Rio Poupa Tempo.

Estima-se que a nova obra beneficiará cerca de 10 mil pessoas, permitindo o reordenamento urbano de todo o entorno da estação. (Informações transcritas do site da Odebrecht.)



Quase dois anos depois, em 16/5/2012, retornei ao Mirante da Paz com minha câmera nova, uma Sony de 16,1 megapixels. A seguir as fotos resultantes:




Dois meses depois, em 7/7/2012, gravei um vídeo amador da descida pelo elevador do Complexo Rubem Braga:

Um comentário:

Vera Dias disse...

Belas fotos desse novo mirante carioca. A visão de Ipanema de prédios e favelas, montanha e mar, revelam imagens até então desconhecidos.