1.6.09

FORTALEZA DE SÃO JOÃO (URCA)





Maquete

O complexo de fortificações onde hoje se situa a Fortaleza de São João começou a ser erguido na época do desembarque de Estácio de Sá, em 1o de março de 1565, por ocasião da fundação da cidade do Rio de Janeiro, na várzea entre os morros Cara de Cão e o Penedo da Urca (Pão de Açúcar). Inicialmente, as instalações eram precárias, porém, com o passar do tempo, foram sendo ampliadas e reforçadas, transformando a primitiva fortificação em um conjunto de obras espalhadas e que veio a ser chamada de Fortaleza de São João.


Fortaleza de São João vista do alto do Pão de Açúcar. Ali funcionam atualmente a Diretoria de Pesquisa e Estudos de Pessoal e a Escola Superior de Guerra.

Praia de Fora

A Fortaleza de São João talvez seja a única no país que é verdadeiramente uma fortaleza, pois segundo a concepção militar, tratava-se de um conjunto de baterias, instaladas em construções independentes, largamente intervaladas. No caso de São João, porém, o conjunto é formado por fortes independentes: São José (1578), São Teodósio (1572), São Martinho (1565) e São Diogo (1618), posteriormente reforçados pelas baterias Mallet e Marques Porto (1902). A razão dessa complexidade de construção é compreensível. Situada no local da fundação da Cidade do Rio de Janeiro, apresentava três frentes de atuação: a Praia de Fora, a Praia do Porto e a entrada da Baía da Guanabara, o que dificultava sobremaneira a organização da posição defensiva.


Marco da Fundação (réplica; o original, em mármore branco português, colocado por Estácio de Sá na área entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, foi posteriormente transferido para o Morro do Castelo e com o desmonte deste, para a Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca)


Portão Histórico. No site do IPHAN lemos: "A Fortaleza de São João, sobre o Morro Cara de Cão, na entrada da baía da Guanabara, que teve sua origem nos primeiros tempos da cidade e que, já no início dos seiscentos possuía quatro baterias, foi sendo muito alterada com o correr dos anos, até que, nos meados do século XIX, as edificações primitivas foram ou parcialmente demolidas ou totalmente refeitas, com o fim de se adaptarem aos novos armamentos. Da antiga Fortaleza resta apenas o antigo portão de entrada. Com vão de arco abatido, ladeado por pilastras robustas, este portão, construção de alvenaria, é encimado por frontão com volutas barrocas, o qual termina por uma pira."

Duque de Caxias, patrono do Exército

Em 1715, provavelmente como decorrência da invasão de Duguay-Trouin, a Coroa portuguesa recomendou que as fortalezas de Santa Cruz e São João fossem levadas à última perfeição e estivessem sempre armadas e guarnecidas. [...] Em 1862, após o episódio da Questão Christie, pairava sobre o Imperador Dom Pedro II uma grande preocupação pela segurança do Rio de Janeiro, em virtude de seu fácil acesso pelo mar por parte de navios estrangeiros. Assim, foi criado um projeto para aumentar a capacidade de defesa da Baía da Guanabara. Uma obra de porte, por intermédio da construção de dezessete casamatas, que iria proporcionar à Fortaleza de São João o aumento do seu poder de fogo. Ao término da construção, os canhões Whitworth se posicionaram para barrar qualquer tentativa do invasor. Essa obra ficou registrada em uma placa alusiva, na entrada da Fortaleza, existente até hoje, com a marca do imperador.


Reduto São Martinho, posição ocupada por Estácio de Sá e sua gente em 1565

Em 1875, foi construída uma nova bateria sobre o Forte São Teodósio, preparada para receber um canhão Armstrong de 280 mm, com o peso de 25 toneladas, cujo projétil pesava 550 libras. No mesmo ano, foi também instalado no local o canhão mais moderno então em uso no Exército, um canhão Krupp de 75 mm, presenteado pela fábrica Krupp ao Imperador.
Em 1938, o portão da Fortaleza foi tombado pelo IPHAN.
[...]
O local além de abrigar a fortaleza é um dos sítios históricos mais importantes da cidade do Rio de Janeiro, pois foi lá que Estácio de Sá fundou a cidade. Hoje, existe no mesmo local uma réplica do marco histórico. (Texto extraído do livro de Sandra Zivkovic Moraes As fortificações da cidade do Rio de Janeiro, da coleção Patrimônio Turístico editada pela Riotur. Para obter o livro entre em contacto com a Riotur pelo telefone 2588.9018 ou dirija-se à Praça Pio X, 119 - 10 andar.)

Baía da Guanabara. Do lado de lá, Niterói. Na ilha rochosa à entrada da baía, o Forte da Laje, hoje desativado.

Canhão Armstrong (de origem inglesa, fabricado em 1872, o canhão histórico de maior calibre do Brasil) aponta para a Fortaleza de Santa Cruz, do outro lado da baía.

Ruínas do Reduto de São Teodósio (1572)

Panorama

Forte São José, reformado e equipado por ordem de D. Pedro II

Entrada do Forte São José. Observe a placa alusiva com a marca do imperador.

Forte São José (detalhe)

Forte São José (algumas das 17 casamatas)

Pão de Açúcar (atrás), Cara de Cão (na frente) e Forte São José (esquerda) vistos da Baía da Guanabara durante o passeio no rebocador Laurindo Pitta que parte do Espaço Cultural da Marinha, Praça XIV.
Fotos do editor do blog. Visitas à Fortaleza de São João podem ser agendadas pelo telefone (21) 2586.2291. Informações podem ser obtidas pelo e-mail sitiohistorico.fsj@gmail.com

5 comentários:

Rafael Oliveira disse...

Eu achei bem legal o teu blog.
Está favoritado nos meus favoritos

É muito bom conhecer um blog a favor da nossa amada cidade e você conseguiu mostrar um lado bem criativo.

Conheça o meu blog também:
http://www.rafaeloliveira-rj.blogspot.com/

Ricardo Kurtz disse...

Ivo, você poderia me informar ISBN do livro da Sandra? Liguei para a RioTur e o mesmo encontra-se esgotado. Gostaria de procurar em bibliotecas, e pelo ISBN é mais fácil.
Em tempo, parabéns pelo Blog, vai virar referência nas minhas pesquisas do Rio antigo.
Abraço,
Ricardo

Anônimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Luanna Guimarães disse...

esse seu poste vai ser muito interessante para um trabalho que estou fazendo sobre a fortaleza de são joão! :) adorei o poste e as fotos.

braga 10302 disse...

Caro Ivo, saudações! Muito bom mesmo o seu trabalho, e para quem é do Rio isto fica ainda mais relevante pelo fato de sabermos das dificuldades que às vezes se interpõem aos nossos desejos. A cidade sempre foi linda e continuará sendo, e mostrá-la na rede é o mínimo que as pessoas capacitadas para tanto como você devem fazer. Portanto meu caro, mais uma vez parabéns e obrigado pelo blog,só os que a amam de verdade são capazes de tanto. Grande abraço....