9.11.06

QUINTA DA BOA VISTA

E O JARDIM ZOOLÓGICO
(com texto de Helio Brasil)



Quinta da Boa Vista em 1947
(época em que decorre o texto)


Gramado e lago


Árvores e lago


Pagode japonês

Caminharam então rumo à Quinta, vencendo o inacabado viaduto de São Cristóvão e logo entrando pelo portão dos fundos, o Seixas querendo apressar o passo, contido pelos protestos dos companheiros. "Calma, vai tirar o pai da forca?"


Antigo Palácio Imperial, atual Museu Nacional

Atingindo o alto da alameda principal, os rapazes podiam ver a Ilha dos Amores e seus visitantes domingueiros: os casais de namorados, a garotada saltando nas pedras rugosas, adultos jovens e maduros, alguns conduzindo crianças pelas mãos, atentos aos barcos que circundavam as margens de desenho irregular. Encostada a uma das colunas das falsas ruínas, Ana era fotografada por Sulamita enquanto Eva, a outra prima, pesquisava o lago, admirando a grande cobra de cimento que emergia das águas esverdeadas.




Dom Pedro II

Os rapazes desceram, ágeis, os degraus da escadaria que rompia a encosta gramada e cruzaram a ponte, com elegância e equilíbrio, desprezando orgulhosos o amparo do parapeito imitando troncos de árvore. As jovens repararam na chegada dos três companheiros, sobretudo Paulo, que refizera o nó da gravata vermelha com listras brancas, destacado no terno de tergal cinzento. [...] Simularam a coincidência do encontro. "Você por aqui?" Desnecessariamente, pois Eva e Sulamita sabiam do interesse da prima pelo jovem morador da Villa Elzira e adoravam o papel de confidentes e alcoviteiras, que afinal lhes reservava a aproximação com os dois amigos de Paulo. E no desmontado templo greco-romano, sob as precárias sombras das colunas dóricas e arquitraves de cimento, os jovens entregaram-se às brincadeiras e conversas propícias ao cenário de inocente romantismo.



Imperatriz D. Leopoldina (mulher de D. Pedro I)

"Vamos ao Parque Shangai?" A proposta, aceita com entusiasmo, foi feita por Ana e logo o grupo tratou de abandonar a ilha em fila indiana para cruzar de novo a ponte, quase uma pinguela em concreto simulando troncos cortados longitudinalmente. As moças exageravam os cuidados, obrigando os rapazes a guiá-las colocando-lhes as mãos delicadamente nos ombros e o expediente agradava sobremodo a Paulo Maluco, uma vez que o vestido de sua eleita tombava um pouco, deixando o ombro direito nu, expostas na pela alva inúmeras marquinhas douradas. Mais que direcionar a jovem, impedindo-a de tombar nas águas limosas, a mão de Paulo tentava esculpir o arredondado e tépido território sem que a dona mostrasse reação negativa. [...]



Jardim Zoológico: Papagaio-de-cara-roxa

Chegaram afinal ao topo e caminharam em direção ao museu, o eixo da alameda bem marcado pela enegrecida estátua do segundo imperador.[...] Tudo resplandecia, as sapucaias floriam e os pássaros cantavam. As campainhas de bicicletas faziam, em sons rascantes, o contraponto à algazarra das famílias, marinheiros e soldados flertando e dizendo piadas para as moças em bandos.



Jacarés

Céu imaculado deixava escorregar o sol a fundir-se em ouro banhando o cenário de alegria quando um carro negro, trepidando, insólito, surgiu na pista de asfalto juncada de folhas. Na direção, o mecânico Melânio testando o motor do Ford quarenta e dois; ao lado, aflito, atento aos ruídos da máquina, seu Jacó Pelcman. Deus e Jeová cochilaram bastante para que um dibuk fizesse engasgar o carburador e o carro veio parando, parando e parando até que o israelita surpreendeu a filha Ana, enlevada, ouvindo as palavras do Seixas, braço passado nos ombros da mocinha. Um metro e noventa de ira milenar deixaram o carro, olhos congestionados, o início da calva avermelhando-se. "O que faz você aqui com um gói?", e estalou a mão ampla, dedos roliços na face de porcelana. Emudeceram pássaros, campainhas, homens e mulheres. No silêncio talvez se ouvisse o pingar das lágrimas da jovem judia. [...] Lançou depois um olhar duro para o moço Seixas. "Filha minha não é para andar por aí com qualquer um". Entrou pesadamente no carro e bateu a porta. [...]


Diana, deusa dos animais selvagens e da caça

Na calçada, os circundantes voltaram à atividade lançando olhares de pena ou de zombaria sobre o rapaz que ficara tão imóvel quanto as colunas da ilha. Sentia-se mais petrificado que os rochedos cinzentos sobre os quais se sentara pouco antes em companhia de Ana. [...] Só conseguiu perguntar: "O que é gói? Que porra é essa?"

Um senhor grisalho que assistira à cena, ainda próximo, quase murmurando, explicou-lhe: "Você é de outra raça, meu filho". E irônico: "Se você fosse preto, seria pior!"


(Do maravilhoso livro de Helio Brasil, A Última Adolescência, um variado painel suburbano dos anos 40, Editora Bom Texto, págs. 172-4.)


Alameda de palmeiras


O lago ao entardecer


Museu Nacional ao entardecer

A Quinta e o Zoológico também estão na postagem COM HELIO BRASIL EM SÃO CRISTÓVÃO. Fotos de Ivo & Mi, exceto a primeira, do Acervo do Arquivo Nacional, que Helio Brasil usou na capa de seu A última adolescência

19 comentários:

Taia disse...

Amo a Quinta da Boa Vista.
É o meu quintal.
Passo por ela todos os dias.
Tenho muitas fotos...

Jôka P. disse...

É lindo o seu blog, Ivo e Mi !!!
Só assim eu passeio pelo Rio, vou até lugares que fui na minha infância e que nunca mais terei o mínimo saco de ir.
As fotos cada vez mais bonitas !
E parabéns também para a minha amiga Taia, colaboradora desses espaço tão bacana.
Acabei de jantar com ela no Rodízio de Petiscos do Maxim´s ( o da Atlântica, não o de Paris).

Kath disse...

Gostei muito do seu blog! Não só é bem feito como trata de um tema que amo: a minha cidade querida! Parabéns!

Marilia Mota disse...

Querido Ivo,
Grande idéia convidar o Hélio para seu blog. Lindo texto, lindo trabalho seu, como sempre.
Beijos aos dois,
Marilia

Anônimo disse...

Mariana de Oliveira disse

Ivo: Não é de hoje que aprecio seus escritos. Sempre criativo, ágil, você é um escritor desses que a gente gosta de ler e reler. Com este blog maravilhoso você se mostra também excelente fotógrafo. Para completar, traz esta figura impar do Helio Brasil, minha paixão das letras modernas. Parabéns.

Sônia Eva disse...

Ivo, visitei seu blog e adorei! Muito chic!
Parabéns!!!!!!!
(enviado por e-mail)

Jonas Prochownik disse...

Belo post, belo texto e belas fotos. Fote abraco do teu amigo Jonas.

Léa Madureira G. Lima disse...

Parabéns, Hélio! Parabéns, Ivo!

É fascinante o estilo do Hélio Brasil!
Seu livro, "A Última Adolescência", com o desfile dos personagens moradores da Vila Elvira a desvendar, casa por casa, seus medos tabus mistérios adequados à época e em total empatia, prende-nos até o final: surpreendente e dramático! E nos cativa por registrar com profundidade lirismo delicadeza esse tempo tão real e encantado!
Perfeita harmonia do texto com as fotos !

Nelly disse...

Ivo, lindas fotos, grande fotógrafo que vc. é, adorei todas. (enviado por e-mail)

siomara_cassia@yahoo.com.br disse...

Oi Ivo!Que passeio maravilhoso que o seu blog nos proporciona!Sucesso!!!
Siomara de Cássia Miranda

dolores disse...

Hi Ivo,
Parabens pela parceria perfeita!
Minha visita a seu blog e sempre agradavel! E qdo encontro pessoas como o Helio que assim como vc, possuem talento e conseguem transmiti-lo e perfeito!
Beijinhos c carinho
Toronto-Ca

Jôka P. disse...

Ivo, muito obrigado pelo carinho de sua mensagem no aniversário de minha mãe !

Anônimo disse...

Em meu caminhar infinito encontrei tão belo caminho e aqui sinto-me em paz.
Belas imagens.

Beijos de chuva.

Kath disse...

Oi, Ivo! Valeu pela visita, retornou o meu comentário simpático com outro igualmente! Aproveito e aviso que vou botar link permanente para o su blog lá no Casa101. Um blog como o seu, que trata de dois temas tão caros, não sei porque aqui não está linkado. Grande abraço e não pare de postar!

Julia disse...

Não há como não se encantar e se emocionar com o seu blog.
É o meu "passeio" diário...
Beijão

Lia Noronha disse...

Boas lembranças da minha infância...abraços e bom fim de semana pra vc.

Anônimo disse...

Acabei chegando no seu Blog pois estou querendo comprar o livro para minha esposa que adora a História da Quinta da Boa Vista. Como e onde posso comprar ? Um abraço e parabéns pelo blog. Marcelo F Sá...

Ivo Korytowski disse...

Prezado Marcelo, onde está escrito "Do maravilhoso livro de Helio Brasil, A Última Adolescência,...", você tem que clicar em "A Última Adolescência". Trata-se de um link para o site da editora, Bom Texto.
Ou clique no meu nome neste comentário que coloquei o link lá também. Ou escreva para o Helio Brasil. O e-mail: heliobrasil@superig.com.br

igor disse...

Eu Moro no rio de janeiro a muito tempo e hoje dia 19 de julho de 2008 foi minha primeira vez que eu fui para quinta da boa vista eu adoreii esse passeio para mim vai ser ineSquesivel bjs ''