26.7.13

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE 2013


Sob um frio bem atípico do Rio de Janeiro (“Sempre ouvir dizer que os cariocas não gostam do frio e da chuva, mas vocês estão mostrando que a fé de vocês é mais forte que o frio e a chuva. Parabéns! Vocês são verdadeiros guerreiros”, diria o Santo Padre”), as notícias não eram nada animadoras: “Rio passa vergonha” (capa do Extra), “Peregrinos pagam seus pecados nos transportes”. Algumas horas antes da chegada do Papa em Copacabana, fui conferir o "caos" anunciado pela imprensa. Em vez dele, encontrei bandos de jovens do mundo inteiro, numa algazarra contagiante, posando para fotografias (peguei até carona nas poses como vocês veem aqui), dirigindo-se ao grande palco onde assistiriam não a um show de rock, mas à mensagem de que a fé é revolucionária do líder de uma religião bimilenar. 

A fé é revolucionária mesmo? Sei lá, em nome da fé muita barbaridade já se fez (e ainda se faz em algumas partes do mundo). Mas em nome do socialismo, a grande religião materialista que prometeu redimir a humanidade nos tempos modernos, também se perpetraram as piores atrocidades. De uma coisa sei: seria tão bom se, em vez de passarmos a vida resmungando e reclamando e falando mal e contando dinheiro e fazendo fofoca, preservássemos a jovialidade, que vemos entre os participantes da Jornada, a vida inteira!

A seguir algumas das fotos tiradas na Praia de Copacabana nas tardes da quinta (primeiras nove fotos sob tempo encoberto) e sexta-feira (fotos 10 a 20, Santa Clara tendo atendido às preces por um tempo melhor) e na manhã de domingo (última foto):






















Fotos do editor do blog. Mais fotos da Jornada no Picasa.

5 comentários:

Simone disse...

Foi muito bom andar pelas ruas e sentir a vibração positiva da juventude. Sem ambulantes vendendo bebidas. Sem o medo da violência. Ouvindo louvores e vendo demonstrações de amizade e solidariedade. Ouvir espanhois, mexicanos, chilenos e argentinos cantando: "Jo soy brasileño, com muy orgulho e muy amor." eÉ com certeza um exemplo dessa união e solidáriedade. O carioca fala todos os idiomas, dá informações aos turistas e sente orgulho de morar na cidade mais linda do mundo. Eu me sinto assim. Os "reclamões" de plantão vão sempre exisitir, são os que só conseguem ver o que tem de negativo, porque só veem o reflexo do que possuem dentro de si. Ainda não sabem que dentro de cada um de nós está a chave para a nossa felicidade. Cultuar a pobreza, sem acreditar na abundancia é mais seguro. A liberdade pode ser mesmo assustadora. Adorei as fotos! parabéns pela postagem.

Celina disse...

Sempre uma delícia visitar seu blog...as vezes esqueço mas qdo visito me encanto pelo tom tão delicado e verdadeiro das suas colocações.
E as fotos são uma maravilha.
Parabéns... (enviado por e-mail)

Ricardo disse...

Bela crônica! (enviado por e-mail)

ROGEL SAMUEL disse...

excelente, muito bom post sobre este Rio de Janeiro

Dolores disse...

Emocionante! Que bom sentir esta energia através das imagens orladas por este cartão postal que é o Rio. Obrigada por me proporcionar esta bela caminhada em sua companhia!Bjs